ALBUM REVIEW #02: Nicole – bliss (27.04.2016)

Chegou a hora de avaliar “bliss”, o 1º álbum solo de Nicole, a ex-integrante do KARA com carreira solo mais extensa até aqui (Isso não significa mais bem sucedida, btw). Será que vale a pena? É uma song collection de demos do KARA como os singles indicavam ou Nicole tinha algo a mais para mostrar? Valeu a pena adiar o seu comeback coreano para Julho só para vender 5 mil cópias do seu 1º álbum japonês? Check it out!

INFOS GERAIS

File:Nicole - bliss lim A.jpeg

Artista: Nicole
Álbum: bliss
Lançamento: 27/04/2016
País: Japão
Singles: Something Special e DON’T STOP
Nota do blog: 84/100 (Ótimo)
Top 5: LUNAR, HAPPY, Something Special, Say Good bye, wonderful baby

O ÁLBUM

“bliss” é um álbum previsível e seguro, mas não do jeito que eu imaginava. Já disse aqui algumas vezes que lançar demos de KARA como ela estava fazendo nos singles não era o caminho para ela ser destaque enquanto solista, ficando marcada sempre como ex-integrante do KARA, e pelo jeito ela ouviu isso e resolveu não ser tão óbvia nas faixas do álbum. Ela continuou seguindo o som mais vibrante e harmônico com um toque kawaii, mas quase nada remete KARA, e sim em várias faixas que poderiam ser title tracks fáceis de álbuns aegyo na Coreia. Nicole apostou em um álbum mais linear, então bliss não tem uma faixa que seja a aposta de ser o hino de 2016, são várias músicas boas/ótimas mas poucos anthems (Talvez LUNAR e HAPPY se 2016 continuar nessa coisa água com açúcar, mas só), e por isso mesmo é ótimo, pois antes um álbum seguro e muito bem feito do que um álbum ousado e cheio de bombas. Nicole pegou várias faixas que são boas e combinam com o que ela já fazia antes, e a partir disso surgiu “bliss”.

FAIXA A FAIXA

O álbum começa com “Precious Time”, que é um daqueles plágios daquela música da Thalia com o Fat Joe que rodava aos montes na década passada mas depois morreu conforme o interesse em gostosas cantando R&B mais suave morria junto. Eu honestamente não esperava (Pra mim bliss seria o resumão de toda a carreira do KARA), e foi uma surpresa agradável embora sem impacto nenhum para abrir álbum. Para encher tracklist isso estaria ótimo entretanto, e é uma música gostosa no fim das contas. O álbum segue com sua faixa promocional “HAPPY”, e não tem como ser menos K-pop.

HAPPY tem um refrão grudento, um refrão ótimo, uma frase que gruda na cabeça “Up! And down! From left! To right!” e é uma música fofinha muito bem feita e com replay factor ótimo. Não é a melhor faixa promocional da Nicole, mas sem dúvida é a mais viciante para mim. Soma isso a um MV muito kawaii e doce e temos Nicole entregando o melhor trabalho cute de 2016 (Aprende, G.NA). “wonderful baby” é mais k-pop aegyo no seu melhor, parecendo um pagode de verão que alguma solista flopada na Coreia poderia estar lançando no verão, logo a própria Nicole poderia estar lançando wonderful baby para um summer comeback coreano.

“LUNAR” corta um pouco o aegyo e EDMiza o álbum para as farofa-fãs também se sentirem amadas por Nicole. LUNAR tenta manter a vibe vibrante e brilhante do álbum, e até consegue, mas essa transição EDM não me soa tão agradável como deveria. O que não impede a faixa de ser ótima sozinha e ser a melhor música do álbum, btw. “Say Good bye” volta ao som das primeiras músicas, sendo pop agradável ao invés de uma balada aleatória como o nome sugere. O álbum tem um conceito sonoro sólido, sendo pop para adolescente feito por uma mulher de 27 anos, sendo Nicole lançando coisas agradáveis e safe que tem chances mínimas de erro, e embora nada seja muito marcante com exceção de HAPPY, Nicole não tem nenhuma faixa ruim nesse álbum até aqui…

Isso porque “Lucky Day” deixa a peteca cair sendo fillerzão bizarro. Não é ofensivamente ruim, mas é tão sem graça, com tantos ritmos diferentes e sem graças e tão zzzzz que eu sinto que perdi tempo ouvindo isso. “Need A Love” dá uma agitada na mesma intenção de mistura de ritmos de Lucky Day, mas os ritmos aqui fluem melhor, e a música é tão leve e tão oposta a faixa anterior, claramente um dos destaques aqui. “Memories” é a primeira balada do álbum (E a única entre as faixas inéditas), e a música funcionaria melhor se tivesse 3 minutos de duração ao invés de quase 6. Enfim, NS Yoon-G deve ter vendido essa faixa para Nicole porque Memories é quase que álbum track da prima gostosa da Jiyoung lá por volta de 2012/2013.

Após um festival de faixas inéditas (Algo chocante para um 1º álbum japonês de um ato K-pop), 3 faixas já conhecidas anteriormente por nós marcam presença: “recall” foi bonus track de single promovida a album track para ser a faixa mais lenta do bliss. Interessante o álbum ter 2 baladas automáticas e 10 faixas animadas e não o contrário como boa parte dos full albuns coreanos, só para defender a tese de que LPs japoneses >>>>>>>>>>> LPs coreanos, agregando até um valor a recall que antes não dava uma foda, mas fazendo cota de baladinha no álbum funciona muito bem.

“Something Special” e “DON’T STOP” são as duas demos roubadas de KARA quando ela estava e não estava no grupo, respectivamente. Ambas ótimas, ambas se aproveitando muito bem do resto de fandom que sobrou do KARA no Japão. O álbum finaliza com “Dream of Love”, que mais uma vez encaixa com o conceito leve e vibrante do álbum (Tudo se encaixou nesse conceito) e é uma ending apropriada para o bliss, sendo um pop basicamente regrado no violino com um ritmo gostoso e um pouco dançante.

VALE A PENA OUVIR?

Sim. Quem gosta de LPs lineares, que dá para ouvir tranquilamente mesmo sem algo realmente empolgante vai curtir muito. Talvez bliss precisasse de um jam para eu dar uma nota acima de 90, mas do jeito que está, provavelmente Nicole tem o melhor álbum do ano até aqui (Dos que eu já ouvi, pelo menos). Mesmo com a proposta mais fofa, não são músicas que cansam depois de um tempo, e é um CD gostoso o suficiente para acompanhar meus dias de faxina sem maiores problemas, o que é uma coisa ótima.

Anúncios

7 comments

  1. Minha reação quando eu acabei o álbum foi basicamente a mesma depois que acaba um anime fofinho mais triste tipo “ah, acabou? Até que foi legal”. Eu até que eu gostei mas não lembro de nenhuma faixa menos Happy (Something Special não conta porque eu já tinha ouvido milhares de vezes, única música de uma ex-Kara5 que eu tenho no cel).

    Liked by 1 person

  2. Minha reação quando eu acabei o álbum foi basicamente a mesma depois que acaba um anime fofinho mais triste tipo “ah, acabou? Até que foi legal”. Eu até que eu gostei mas não lembro de nenhuma faixa menos Happy (Something Special não conta porque eu já tinha ouvido milhares de vezes, única música de uma ex-Kara5 que eu tenho no cel).
    PS: Vai ter review do álbum do Suiyoubi quando sair?

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s