LABOUM continua esquecível pra todo mundo, mas “Shooting Love” ainda vale uns comentários

LABOUM é o tipo de grupo que todo mundo (Ou quase todo mundo) já deve ter escutado o nome rolando por aí, mas só umas 10 pessoas se importam realmente com o que elas lançam no K-pop. Elas tem umas coisas interessantes até, como o remake de So Wonderful em “What About You” ou o Pop 80’s que flopou para todo mundo com “Allow Allow” (Melhor coisa delas até hoje), mas no geral nada muito memorável mesmo, e a maior conquista delas está sendo se manterem na mesma formação desde o debut mesmo flopando horrores. A nova tentativa delas alcançarem a relevância está aí embaixo, com “Shooting Love”:

“Shooting Love” é bem redondinha. Os versos são legais, o refrão é legal, o instrumental é legal, o rap é legal… Tudo é legal, mesmo que não passe disso. A música soa como Oh My Girl no seu lado Pop mais animadinho e rosa, mas Shooting Love, como música, é mais equilibrada do que Cupid ou Liar Liar. Enfim, nada soa errado ou ruim na música, ela é bem redondinha e gostosinha até.

Mas o grande problema é que, ainda que “Shooting Love” seja legal, não é o suficiente para chamar atenção de quem consome esse tipo de som hoje em dia (No caso, as fanbases dos novos girlgroups da nação). E para um público geral é “Ah, legal, pula para a próxima”. Até dura na minha playlist por um tempo enquanto o aleatório estiver rodando, mas nada que faça questão de repetir e repetir. Não é o melhor aegyo do mundo mas não é lá algo ruim, e esse meio termo não muda a vida de ninguém. E esse problema ainda se expande se observarmos a discografia do grupo, e o grupo em si.

Já o MV é com elas se dividindo em 2 times numa mini guerrinha aegyo disputando para ver quem não é acertada pelo amor (?). Foi uma forma interessante de mascarar o mesmo aegyo em tom pastel de sempre ao invés de colocar 4 minutos de “Amigas se divertindo em determinado local”. Mesmo assim cai no mesmo dilema da música: Ainda que tudo esteja bem feito e bem redondo, não é nada que chame a atenção de ninguém, e não tem nenhum momento icônico ou memorável que mude isso. O MV é ainda mais esquecível que a música, mas nada que afete negativamente.

No geral, “Shooting Love” faz a lição de casa bem, mas nada que impressione a turminha de flopadas do 10º escalão da K-Music. Foi feito basicamente para mostrar que LABOUM ainda existe, e não necessariamente colocar elas um degrau acima do povão. Enquanto elas ainda insistirem em pouca coisa, vão continuar recebendo pouca atenção.

Anúncios

5 comments

  1. Eu curti a música, e curti o M/V (desejo muitos itens ali para minha decoração, quem souber onde achar algo parecido pode mandar), e até já ouvi duas vezes no aleatório e consegui distinguir das demais farofas aegyo (tipo clc) pela intro . . .
    Mas ainda não é nada que me faça querer baixar a discografia açucarada delas, ou curti-las nos lives.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s