#VisibilidadeTrans: Conheça um pouco sobre Harisu, um dos maiores ícones LGBT da Ásia

Para quem não está sabendo, hoje (29/01) é o dia nacional da Visibilidade Trans. “Dougie, que caralhos seria Dia da Visibilidade Trans?” Como o próprio nome diz, é um dia no qual é promovido o reconhecimento e os direitos dos transgêneros e travestis no nosso país (Não só fora como dentro da comunidade LGBT, onde o T da sigla ainda é bem invisível). O dia não foi criado hoje por esquerdistas petralhas ateus destruidores de família tradicional, mas sim em 2004, e se você jogar #VisibilidadeTrans em qualquer rede social vai aparecer diversos vídeos, depoimentos, textos e campanhas que vem acontecendo desde o dia 25, quando começou a semana da visibilidade trans.

Para falar um pouco sobre visibilidade trans e ao mesmo tempo manter o tema do blog, podemos falar de Harisu, um nome que é obrigatório de toda página/blog/tumblr/canal no YouTube/qualquer coisa envolvendo K-pop que queira comentar sobre o tema. Sim, há outros exemplos conhecidos de transgêneros no K-pop, como o girlgroup formado por transgêneros Lady e a modelo Choi Han que debutou no girlgroup Mercury, mas Harisu, além de ser a 1ª celebridade transgênero da Coreia do Sul, também é considerada responsável pelos avanços dos direitos trans conquistados no país. Mas se você ainda não conhece Harisu por ser novo no K-pop, por não ter dado a sorte de acompanhar alguém que ainda não tenha falado dela ou por, sei lá, só seguir aquelas páginas que só fazem tirinhas falando para você reagir a tal coisa no facebook, vem comigo conhecê-la (Provavelmente não é o melhor texto sobre a cantora que você lerá, mas eu fiz meu esforço para deixar o texto bem interessante).

Esse vídeo com a trilha sonora que parece trailer de horror movie é Harisu estrelando seu primeiro comercial para a marca de cosméticos Dodo com aquela sutileza que coreanos adoram tratar esse assunto (Eles enfiaram um pomo de adão digitalmente na moça, já que Harisu não possui um pomo de adão de destaque no corpo). O comercial ganhou bastante destaque, e no mesmo ano um documentário chamado “Ha Ri-Soo, Who Became a Woman: Story Behind” foi lançado na KBS. Ela se tornaria a 1ª celebridade transgênero da Coreia do Sul. Ainda em 2001 ela debutou no K-pop com seu 1º álbum “Templation”, que fez Harisu receber uma indicação como Melhor Nova Artista feminina no Mnet Music Video Festival (Atual MAMA).

Essa é “Liar”, title track de seu segundo álbum de estúdio de mesmo nome lançado em 2002. “Liar” é considerado o maior sucesso da cantora na sua carreira, mesmo com números considerados tímidos para um artista de K-pop comum (#23 no 1º mês de lançamento) e rendeu outra indicação no Mnet Music Video Festival, dessa vez como Melhor Performance de Dança. Mas a maior conquista de Harisu naquele ano aconteceria na justiça: Ela seria a 2ª pessoa na Coreia do Sul a conseguir mudar legalmente seu gênero. Harisu sempre lutou pelo seu reconhecimento como mulher no país, e só a sua presença na indústria já quebrava diversos tabus que ainda são tabus na Coreia do Sul. A mudança legal de gênero acompanhado do seu casamento com o rapper Micky Jung são considerados grandes responsáveis por algumas mudanças e direitos da comunidade trans no país, como a mudança legal de gênero em documentos oficiais e a legalização da cirurgia de mudança de gênero para pessoas acima dos 20 anos de idade, além de fazer de Harisu uma forte referência para a comunidade LGBT de toda a Ásia.

Durante sua carreira, Harisu nunca deixou de esconder que sofria uma série de preconceitos não só dentro da indústria como na própria vida pessoal. Durante a época do julgamento de seu caso, Harisu revelou que sofria bastante constrangimento com seus documentos oficiais, e durante muito tempo ela não conseguia emitir vistos e passaporte por conta de ser legalmente reconhecida como homem. Em 2008, em uma entrevista, ela contou que ainda sofria preconceitos por ser transgênero, contando que as pessoas à sua volta sorriam para ela em sua frente, mas que nas costas ela ouvia comentários maldosos. Ou seja, mesmo sendo uma celebridade de carreira consolidada, ela não era respeitada como mulher pela indústria, então imagina uma pessoa trans comum que não tem todo o suporte ou consolidação que Harisu possuia sozinha. É, pois é. Mas Harisu falava disso abertamente, sem pudor, mostrando que se reconhece, se aceita e é feliz do jeito que é, algo que vai na contramão de diversas celebridades que têm que omitir sua sexualidade ou identidade de gênero que não fazem isso por quererem ou por acharem mais conveniente, e sim como uma forma de não sofrerem boicote tanto dentro da mídia coreana como fora dela.

Em sua carreira no K-pop ela lançou 5 álbuns de estúdio entre os anos de 2001 e 2006, e em 2012 ela retornava para a música com o EP “The Queen” comemorando o 11º aniversário, sendo seu mais atual lançamento. Além disso Harisu teve sua carreira também como atriz e modelo (Profissão na qual é a mais fácil de encontrarmos celebridades transgênero na Ásia), e hoje ela vive muito bem sua vida de mulher casada longe dos holofotes. A existência de Harisu há mais de 15 anos e sua carreira bem sucedida não faz da Coreia um país pró-direitos LGBT. Harisu é muito mais uma exceção do que uma regra no que acontece no país, que caminha lentamente com o desenvolvimento da pauta LGBT (Algo semelhante ao que vemos aqui no nosso Brasil), mas é importante para algo chamado Representatividade. É importante que várias “Harisu” existam no mundo, para mostrar ao cidadão conservador que ser trans é algo que não é ofensivo, doentio ou alguma coisa negativa do tipo e sim é ser uma pessoa como qualquer outra, e para as próprias pessoas trans verem que existem pessoas iguais à ela que vivem muito bem, e que dá uma força a mais para superar os preconceitos e buscarem sua auto-realização como pessoas no mundo, pois a luta é MUITO grande para todos nós, mas AINDA MAIOR para a comunidade trans. E ter empatia e respeito com elas já é uma pequena contribuição nossa para essa luta.

“Ah, Dougie, mas estamos aqui no Brasil, como posso ver mais informações e pessoas transgênero falando sobre o assunto?” É simples, como já disse só jogar no YouTube “Visibilidade Trans”. Vários canais LGBT estão formando uma onda de vídeos sobre o assunto falando sobre diversos assuntos relacionados à comunidade transgênero, e além de ver esses vídeos também é útil para descobrir diversos canais voltados ao tema LGBT que trazem muitas informações e muito conteúdo legal. Tá OK? Então tá OK!

Anúncios

6 comments

  1. Suas pautas continuam cada dia melhores Dougie.Parabens de vdd até que enfim um site brasileiro falou sobre esse tabu coreano pq a gnt só acha nos sites gringos.Ja vou mostrar pra tds os migos que dizem que na Coreia parou no tempo,o negócio pode demorar mas o movimento já começou.

    Liked by 1 person

  2. Muito interessante essa pauta, hoje mesmo li uma matéria falando também sobre o mesmo assunto só que mais explorado, mas vim ler o seu e achei bacana tambem ❤
    Ate um tempo ainda tinha dúvidas sobre transgêneros e de uns anos pra cá ando lendo algo mais pra aprender. Agora imagino o que ela passou, logo na Coréia, tenso viu. Mas fico feliz que ela tenha se estabelecido

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s