Sem categoria

ALBUM REVIEW #21: TWICE – twicetagram

Hora de mais uma review de álbum, agora com as novas garotas da nação TWICE dando as caras com seu 1º full album “twicetagram”, lançado no fim do mês passado e que já vem quebrando recordes de vendas lá na Coreia do Sul. Será que ele vale os recordes que tem ou é só mais um álbum típico do que se espera do álbum de TWICE? Vamos dar uma conferida agora!

Sem-Título-1.png

O ÁLBUM

Assim como a title track, eu não dava nada para esse 1º álbum do TWICE e acabei saindo até surpreso por não ter achado um lixo completo. Boa parte das faixas do Twicetagram (a.k.a todas menos LIKEY e 24/7) são bem safes e só tentam ser agradáveis de ouvir, sem um esforço para tentar algo mais consistente ou que, sei lá, desse mais vontade de escutar. Eu terminei de ouvir o álbum querendo ouvir outra coisa. Um Holiday Night, uma How do you feel now?, o novo álbum da Taylor Swift, qualquer coisa que pelo menos tenta ser algo além de um monte de filler tracks costuradas em um álbum. E enquanto uma parte das faixas é do tipo que funciona com qualquer uma, umas 3 ou 4 músicas são simplesmentes ruins quando nem tentam ser boas, ou seja, um desperdício total (Principalmente Turtle e FFW, as duas faixas mais dispensáveis do álbum principalmente pela sequência das duas músicas ser de coisas semelhantes e melhores).

Mas não é só de pontos negativos que Twicetagram vive. Por exemplo, ele é um dos poucos álbuns que não vai morrendo aos poucos com 4 midtempos/baladões a ponto de parecer um EP que a JYP teve que colocar umas demos aí para encher. A tracklist ainda não é das melhores (Tem umas transições de faixas meio estranhas nesse bolo), mas é um avanço tentarem deixar o álbum todo linear ao invés de só metade dele. Outro ponto que difere o Twicetagram de outros álbuns é da 2ª metade dele ser melhor (Bem melhor, aliás) que a 1ª. Se a 1ª metade do álbum não fosse tão sofrível de ouvir e eliminasse umas 3 músicas meia bomba ruins ali talvez o Twicetagram seria um trabalho que surpreendesse mais pessoas, mas simplesmente não rola. É muita faixa regular e sem muita inspiração em um mesmo projeto, o que só deixa mais forte o fato que o JYP não está interessado em fazer uma discografia tão icônica para o TWICE como ele já fez para o Wonder Girls (E o miss A, em menor escala)

FAIXA A FAIXA

“LIKEY”, como já foi exaltado anteriormente, é um hino que provavelmente acharia uma bosta se algum grupo com histórico melhorzinho aparecesse com isso aí. Mas é TWICE, ou isso ou nada, e estou bem feliz de finalmente ter viciado de uma música do grupo por ser boa mesmo ao invés de só ter um verso que gruda na cabeça e acabar me rendendo pela insistência, então vou gritar QUE HINO mesmo… Até eles socarem uma faixa acústica pra dar sequência ao álbum.

Eu não vou reclamar tanto por essas midtempos acústicas na Coreia serem coisas que ficam agradáveis até com quem não tem a voz pra isso (O que fica bem claro com o refrão, onde os vocais delas nem estão tão harmônicos assim com o instrumental e ainda assim não foi uma tortura ouvir). Mas “Turtle” é só isso: Só mais uma no meio das midtempos fillers de K-pop que todo santo álbum tem. “Missing U” tem um início na mesma linha da faixa anterior, mas o desenvolvimento mais pop teen da faixa nos refrões fez ela se tornar mais memorável e agradável (E coerente com os vocais delas btw), e acaba sendo outra boa faixa do álbum (Só boa mesmo).

twice-twicetagram-1.jpg

“WOW” volta a deixar as coisas divertidas sendo um ato retrô cute bem óbvio e bem simples, mas não chega a ser ruim. Passa bem longe do olimpo de faixas retrô do Wonder Girls mas, por exemplo, seria uma faixa que o Secret lançaria naquele início de grupo retrô. Eu gosto daquela fase do Secret, e gostei dessa faixa, principalmente por fazer a coisa certa e ser apenas um retrôzinho gostoso para deixar o álbum consistente como um todo (Pena que essa 1ª metade de álbum é sofrível, o que mata qualquer intenção que WOW tenha aqui). Já “FFW” é faixa pra grupo nugu da 16ª camada da deep web que tenta emular TWICE nos dias de hoje, não uma faixa para o próprio TWICE lançar. Já fica ruim num #HASHTAG da vida onde a gente ainda dá um desconto por não conseguirem arrancar algo melhor, e fica pior quando temos TWICE levando uma produção básica dessas a sério. Dá dizer a mesma coisa de “Ding Dong”, sendo que essa é um pouco melhor pelas mudanças de tempo na faixa serem interessantes e fofos com os elementos mais bubblegum pop que elas adotaram aqui.

“24/7” é a 1ª faixa de destaque do álbum fora a title. Os versos mais limpos são o grande acerto da música, pois permitiram que o refrão brilhasse mesmo não sendo muito inventivo, e a música vai ganhando mais e mais elementos até parecer um EDM europeu de algum DJ avulso feat. gostosas como AOA. Inesperado. “Look At Me” começa como uma faixa kawaii meia bomba do E-Girls, mas o refrão é tão gostosinho e tão aquilo que a gente espera de TWICE que acaba salvando a música toda. Terminando a sequência mais forte do álbum, o estilo mais funky de “Rollin’” acaba sendo um ponto fora da curva na sonoridade do grupo, misturando com alguns elementos 80’s dos versos e fazendo dessa a melhor album track do twicetagram.

1-2.jpg

“LOVE LINE” tem uma explosão toda estranha. O instrumental como um todo não é tão ruim, assim como a interpretação delas não ser das piores também, mas o conjunto todo junto com a progressão da música acaba deixando tudo desconfortável de ouvir. Tá ruim isso, deviam ter arranjado um jeito do refrão não chegar de forma tão estranha na música. Já “Don’t Give Up”, por alguma razão, me lembra algumas faixas pop de início de carreira de Little Mix/Fifth Harmony. É o tipo de música que passa dentro de um álbum e nem percebo que ouvi, mas separadamente dá uma valorizada, sabe? Bonitinha essa música, mas nada além também. O álbum termina com “Take Me to You” sendo um baladão emocionante daqueles em que alguma vocalista high profile se acabaria gritando na bridge disso (Então ponto positivo pra elas por não matarem o álbum com baladinha meia boca aqui) e “Sleep Tight, Good Night.”, essa sim uma balada acústica fillerzona de 4 minutos que flerta com Bossa Nova (!) em certos momentos da faixa. Eu honestamente estou chocado que elas tenham conseguido segurar uma faixa desse tipo, mas mesmo assim, fillerzão.

VALE A PENA OUVIR?

24/7 e Rollin’ até valem o play, mas o álbum todo é algo que você só ouve uma vez pela curiosidade e depois passa a viver de LIKEY mesmo. Nem é por maldade não, Twicetagram simplesmente não tem a intenção de possuir um replay factor, ele só vale para uma diversão casual e ocasional, pois você provavelmente terá coisa melhor para ouvir.

Anúncios

PLAYLIST DO LEITOR: Indicações para o mês de outubro

Depois da playlist de agosto ter sido um sucesso, é claro que ia acontecer algo para não fazer a playlist pra setembro. Já tinha explicado antes, mas como me enrolei demais com meu artigo, não tinha como eu matar meu tempo pesquisando as possíveis músicas que vocês colocariam para mim. Agora que as coisas estão mais tranquilas vamos para a playlist de outubro.

(mais…)

Cerca de R$50 milhões em royalties não pagos foram descobertos depois das reclamações de Sorn na internet

Deu na internet um pronunciamento da representante do Comitê de Educação, Esportes e Turismo da Assembleia Nacional da Coreia, dizendo que os portais de música coreanos Melon, Genie, Bugs e Mnet devem 17.4 BILHÕES de Won (O equivalente a quase 50 milhões de golpinhos) em royalties para artistas e produtores da indústria.

“Os royalties não pagos e os direitos autorais devidos aos produtores e artistas pelos ‘4 grandes distribuidores de música digital’ somam 17,4 bilhões de Won no período de 2014 até o 1º trimestre de 2017.

A questão dos royalties não remunerados foi levantada frequentemente no passado, mas o governo não conseguiu preparar contra medidas e as empresas não colocaram esforços na resolução do problema.

O MelOn já se pronunciou dizendo que está trabalhando com o governo e os detentores dos direitos para achar uma solução.”

(mais…)

High Hill e WIBE lançaram coisa nova para agitar o mercado nacional de kpoppers que resolveram cantar

Eu decidi esperar pra comentar o single do TWICE quando elas lançarem dia 18 mesmo e fingir que estou no timing certo com o lançamento (Já que tem quase 1 semana que elas lançaram o MV), e pra quê comentar sobre esses boygroups que lançaram algum troço hoje, né? (Eu sei que o divertimento de vocês é ver os fãs espumando na internet por conta dos comentários que faço serem levados a sério demais, mas hoje não estou com pique pra ser xingado na internet) Então, para cobrir a pauta de hoje, vamos dar uma conferida no que o mercado nacional de kpoppers que resolveram cantar… Quer dizer, “B-pop” lançou esses dias? Começando pelo WIBE, que como todo bom grupo nugu JÁ está de volta e JÁ mudou a formação para o seu segundo single, “Fissurado”:

(mais…)

Lee Hyori e IU anunciam um dueto que irá abalar as estruturas das cafeterias de Jeju

Contrariando todas as minhas expectativas de Lee Hyori só lançar música nova quando a boa vontade da cantora em trabalhar voltasse em 2022, foi anunciado hoje que Lee Hyori e IU deverão lançar um dueto em breve, sendo meio que um encontro entre Deus e Jesus do K-pop, sabem:

(mais…)

Playlist do Leitor: Uma ideia que depende de VOCÊS para funcionar

Enquanto outros quadros estão parados no tempo devido a incapacidade que está rolando de minha pessoa não conseguir fazer um header bonitinho para eles, mais ideias vão surgindo para dar volume e consistência a esse blog. Dessa vez, novamente aproveitando as sugestões que vocês me deram há alguns meses, vou pegar as sugestões de mais playlists junto as ideias de maior interatividade de vocês e criar o inédito quadro PLAYLIST DO LEITOR, onde vocês montam playlists para mim e me poupam serviço com pauta útil/inútil.

(mais…)