ALBUM REVIEW #21: TWICE – twicetagram

Hora de mais uma review de álbum, agora com as novas garotas da nação TWICE dando as caras com seu 1º full album “twicetagram”, lançado no fim do mês passado e que já vem quebrando recordes de vendas lá na Coreia do Sul. Será que ele vale os recordes que tem ou é só mais um álbum típico do que se espera do álbum de TWICE? Vamos dar uma conferida agora!

Sem-Título-1.png

O ÁLBUM

Assim como a title track, eu não dava nada para esse 1º álbum do TWICE e acabei saindo até surpreso por não ter achado um lixo completo. Boa parte das faixas do Twicetagram (a.k.a todas menos LIKEY e 24/7) são bem safes e só tentam ser agradáveis de ouvir, sem um esforço para tentar algo mais consistente ou que, sei lá, desse mais vontade de escutar. Eu terminei de ouvir o álbum querendo ouvir outra coisa. Um Holiday Night, uma How do you feel now?, o novo álbum da Taylor Swift, qualquer coisa que pelo menos tenta ser algo além de um monte de filler tracks costuradas em um álbum. E enquanto uma parte das faixas é do tipo que funciona com qualquer uma, umas 3 ou 4 músicas são simplesmentes ruins quando nem tentam ser boas, ou seja, um desperdício total (Principalmente Turtle e FFW, as duas faixas mais dispensáveis do álbum principalmente pela sequência das duas músicas ser de coisas semelhantes e melhores).

Mas não é só de pontos negativos que Twicetagram vive. Por exemplo, ele é um dos poucos álbuns que não vai morrendo aos poucos com 4 midtempos/baladões a ponto de parecer um EP que a JYP teve que colocar umas demos aí para encher. A tracklist ainda não é das melhores (Tem umas transições de faixas meio estranhas nesse bolo), mas é um avanço tentarem deixar o álbum todo linear ao invés de só metade dele. Outro ponto que difere o Twicetagram de outros álbuns é da 2ª metade dele ser melhor (Bem melhor, aliás) que a 1ª. Se a 1ª metade do álbum não fosse tão sofrível de ouvir e eliminasse umas 3 músicas meia bomba ruins ali talvez o Twicetagram seria um trabalho que surpreendesse mais pessoas, mas simplesmente não rola. É muita faixa regular e sem muita inspiração em um mesmo projeto, o que só deixa mais forte o fato que o JYP não está interessado em fazer uma discografia tão icônica para o TWICE como ele já fez para o Wonder Girls (E o miss A, em menor escala)

FAIXA A FAIXA

“LIKEY”, como já foi exaltado anteriormente, é um hino que provavelmente acharia uma bosta se algum grupo com histórico melhorzinho aparecesse com isso aí. Mas é TWICE, ou isso ou nada, e estou bem feliz de finalmente ter viciado de uma música do grupo por ser boa mesmo ao invés de só ter um verso que gruda na cabeça e acabar me rendendo pela insistência, então vou gritar QUE HINO mesmo… Até eles socarem uma faixa acústica pra dar sequência ao álbum.

Eu não vou reclamar tanto por essas midtempos acústicas na Coreia serem coisas que ficam agradáveis até com quem não tem a voz pra isso (O que fica bem claro com o refrão, onde os vocais delas nem estão tão harmônicos assim com o instrumental e ainda assim não foi uma tortura ouvir). Mas “Turtle” é só isso: Só mais uma no meio das midtempos fillers de K-pop que todo santo álbum tem. “Missing U” tem um início na mesma linha da faixa anterior, mas o desenvolvimento mais pop teen da faixa nos refrões fez ela se tornar mais memorável e agradável (E coerente com os vocais delas btw), e acaba sendo outra boa faixa do álbum (Só boa mesmo).

twice-twicetagram-1.jpg

“WOW” volta a deixar as coisas divertidas sendo um ato retrô cute bem óbvio e bem simples, mas não chega a ser ruim. Passa bem longe do olimpo de faixas retrô do Wonder Girls mas, por exemplo, seria uma faixa que o Secret lançaria naquele início de grupo retrô. Eu gosto daquela fase do Secret, e gostei dessa faixa, principalmente por fazer a coisa certa e ser apenas um retrôzinho gostoso para deixar o álbum consistente como um todo (Pena que essa 1ª metade de álbum é sofrível, o que mata qualquer intenção que WOW tenha aqui). Já “FFW” é faixa pra grupo nugu da 16ª camada da deep web que tenta emular TWICE nos dias de hoje, não uma faixa para o próprio TWICE lançar. Já fica ruim num #HASHTAG da vida onde a gente ainda dá um desconto por não conseguirem arrancar algo melhor, e fica pior quando temos TWICE levando uma produção básica dessas a sério. Dá dizer a mesma coisa de “Ding Dong”, sendo que essa é um pouco melhor pelas mudanças de tempo na faixa serem interessantes e fofos com os elementos mais bubblegum pop que elas adotaram aqui.

“24/7” é a 1ª faixa de destaque do álbum fora a title. Os versos mais limpos são o grande acerto da música, pois permitiram que o refrão brilhasse mesmo não sendo muito inventivo, e a música vai ganhando mais e mais elementos até parecer um EDM europeu de algum DJ avulso feat. gostosas como AOA. Inesperado. “Look At Me” começa como uma faixa kawaii meia bomba do E-Girls, mas o refrão é tão gostosinho e tão aquilo que a gente espera de TWICE que acaba salvando a música toda. Terminando a sequência mais forte do álbum, o estilo mais funky de “Rollin’” acaba sendo um ponto fora da curva na sonoridade do grupo, misturando com alguns elementos 80’s dos versos e fazendo dessa a melhor album track do twicetagram.

1-2.jpg

“LOVE LINE” tem uma explosão toda estranha. O instrumental como um todo não é tão ruim, assim como a interpretação delas não ser das piores também, mas o conjunto todo junto com a progressão da música acaba deixando tudo desconfortável de ouvir. Tá ruim isso, deviam ter arranjado um jeito do refrão não chegar de forma tão estranha na música. Já “Don’t Give Up”, por alguma razão, me lembra algumas faixas pop de início de carreira de Little Mix/Fifth Harmony. É o tipo de música que passa dentro de um álbum e nem percebo que ouvi, mas separadamente dá uma valorizada, sabe? Bonitinha essa música, mas nada além também. O álbum termina com “Take Me to You” sendo um baladão emocionante daqueles em que alguma vocalista high profile se acabaria gritando na bridge disso (Então ponto positivo pra elas por não matarem o álbum com baladinha meia boca aqui) e “Sleep Tight, Good Night.”, essa sim uma balada acústica fillerzona de 4 minutos que flerta com Bossa Nova (!) em certos momentos da faixa. Eu honestamente estou chocado que elas tenham conseguido segurar uma faixa desse tipo, mas mesmo assim, fillerzão.

VALE A PENA OUVIR?

24/7 e Rollin’ até valem o play, mas o álbum todo é algo que você só ouve uma vez pela curiosidade e depois passa a viver de LIKEY mesmo. Nem é por maldade não, Twicetagram simplesmente não tem a intenção de possuir um replay factor, ele só vale para uma diversão casual e ocasional, pois você provavelmente terá coisa melhor para ouvir.

Anúncios

Sonamoo acaba com o gemidão do zap e finalmente acerta uma com “I (knew it)”

Depois de 3 anos mostrando os potenciais das integrantes atráves de pré-releases e demos não finalizadas para os fãs, Sonamoo finalmente fez seu debut e… Espera um pouco, acabei de receber no meu ponto que tudo que elas lançaram é oficial e que “I (knew it)” não é o debut oficial do Sonamoo. Bom, eu vou fingir que elas finalmente com essa coisa maravilhosa aqui e seguirei cagando pro resto mesmo:

(mais…)

EXID dá um upgrade anos 2000 no que funciona pra elas e lança “DDD”, melhor single delas até hoje

EXID não é lá um grupo muito forte na minha playlist. Elas tem I Feel Good e Up & Down, 2 hinos lindos e cheirosos (Com o 2º levando elas ao mainstream), a 2ª versão de Every Night (Não curto muito a versão lançada como single) e… é isso aí. Eu ainda até lembro de Ah Yeah mas não faço a mínima ideia de como os outros singles do grupo são, e nem é por achar o grupo ruim ou algo do tipo, só… Não cola, sabe? Mas 2017 é um ano de muitas surpresas, então para esse comeback com o “retorno” de Solji (Ela aparece em materiais promocionais e canta a música mas não vai promover com o EXID) elas nos agraciam com o melhor single do grupo, “DDD”:

(mais…)

A sua vida não será mais a mesma depois da performance da nova farofa apocalíptica do Perfume

Já fazia um tempo que eu não ficava TÃO empolgado com Perfume, provavelmente por nenhum dos dois singles ter o impacto que as album tracks do Cosmic Explorer tiveram (Everyday bem que tentou), ou que até mesmo justificassem a ausência de um lançamento oficial para It’s My Winter. Mas isso acabou HOJE, pois as gatas se uniram a docomo e fizeram A performance de 2017:

(mais…)

Super Junior, Block B, Seventeen e Monsta X sendo comentados rapidamente em mais um pacotão

Essa semana o K-pop resolveu floodar o youtube com vááários lançamentos de nomes com relevância na fanbase, mesmo que o mundo esteja mais interessado em saber do FINALLY, e se a coletânea final de Namie Amuro terá moral o suficiente para vender mais no Japão do que o álbum da Taylor Swift no mundo todo. Masssss é claro que vocês só estão aqui pelos coreanos né, só que antes de gastar um pouco de energia falando dos ótimos releases de EXID e SONAMOO (Sim, SONAMOO fazendo algo memorável em 2017, também estou chocado), vamos matar todos os elefantes brancos que rolaram nos últimos dias fazendo um pacotão com os oppas da semana: Monsta X, Super Junior, Seventeen e Block B. Algum deles prestou? Confere aí:

MONSTA X – DRAMARAMA

(mais…)

Aprenda o conceito da Pirâmide de Maslow através dos novos PVs de Namie Amuro

Eu sei que está todo mundo aí nessa fase de ENEM e estudar e vestibulares e provas e dor e sofrimento e não estão tendo para acompanhar os troços que o K-pop vem desovando por aí (Eu não estou conseguindo). Mas pensando em vocês, jovens (pff falou a idosa aqui), vou dar uma forcinha para vocês estudarem para as provas do sociais (Mesmo que não adiante muito já que a prova de Ciências Humanas do ENEM foi no último domingo), explicando o conceito da teoria mais conhecida de Maslow com ajudinha da minha BFF de bingo Namie Amuro nos mostrando visualmente a teoria com seus últimos PVs.

Para quem não conhece, Maslow criou uma pirâmide com níveis de necessidade que o ser humano possui, determinando as condições necessárias para que cada ser humano atinja a sua satisfação pessoal e profissional. Esses níveis são:

1º NÍVEL: NECESSIDADES FISIOLÓGICAS

No 1º nível Namie está derrotada, com cara de desgosto e decepção ao ver que o trabalho não a permite suprir suas necessidades básicas para sobreviver dignamente como comer miojo sentada na poltrona, regular o intestino (O que justifica essa cara de quem não vai no banheiro a duas semanas) ou atualizar seu catálogo premium que ganhou de presente da Hulu. O resultado disso tudo é mostrado no PV de “Finally”, onde Namie está cansada de se submeter as exigências da Avex 24 horas por dia e quer dar um basta nisso tudo, representado pela luz na qual Namie caminha em direção, também chamado de FINAL DE CONTRATO.

2º NÍVEL: NECESSIDADES DE SEGURANÇA

Reparem na felicidade de Namie Amuro ao ver seu porto seguro Tetsuya Komuro entrando pela porta da Avex para gravar “Roda o fio now?”. Para quem não sabe, essa entidade aí de cima foi responsável pelos primeiros álbuns e, basicamente, o sucesso da 1ª fase da carreira de Namie (E de mais 300 artistas japoneses da década de 90), então ver o tio Komuro produzir pra ela depois de DEZESSEIS ANOS obviamente fez Namie se sentir segura novamente em desafinar pra valer, pois TK já não segue mais padrões e segue a mesma tendência de robotizar gatas desafinando como nos anos 90 mesmo. Portanto, menos esforço técnico para Namie. Sério, ela abrindo um sorriso mais largo que o da icônica foto de aposentadoria para esse álbum por saber que ela poderia sussurrar um engrish tenebroso que seria aceito por Komuro era tudo que precisava ver hoje.

O PV disso é basicamente alguém usando o pote de ganância para botar mais um vídeo no DVD mesmo, já que ele registra só o encontrinho de Namie e Komuro mesmo. E o pior é que nem material a porra desse encontro rendeu, então metade do vídeo se resume a Namie SENTADA, Komuro NO CARRO em direção a Avex e SLOW MOTION para preencher o tempo de vídeo. Mas como esse trabalho todo foi feito unicamente pela NOSTALGIA de Tetsuya largando um troço datadíssimo pra Namie, valeu pela ideia.

3º NÍVEL: NECESSIDADES SOCIAIS

O 3º nível trata as necessidades que o ser humano possui em socializar, então Namie mostra o quão importante é se enturmar com suas colegas de Orange is The New Black para realizar suas conquistas de dominar uma prisão comandada por crianças e trilhar o caminho da felicidade de Maslow. Eu não vou gongar muito por esse ser o melhor PV que Namie grava em anos e valorizar (e muito) a música, que agora é um pop bem gostoso e divertido de se escutar (Ainda mais em HQ). Além disso, passar pelos dois primeiros níveis fez muito bem para Namie, que já aparece sorrindo, feliz, empenhada em fazer a coreografia, seguindo o roteiro do PV que já não é mais ficar sentada fazendo carão…

4º NÍVEL: AUTOESTIMA

Namie já se sente segura, já tomou seu calcitran para suprir suas necessidades básicas e já arranjou umas migas para dançar junto com ela, então é hora de trabalhar o nível da autoestima. E com o PV de In Two Namie quis mostrar para você aí de casa que você arrasa e é espetacular de qualquer jeito, mesmo que o cabeleireiro tenha te sabotado no penteado e você só tenha uma brusinha meia bomba e uma bota qualquer. E se você não se sentir incrível é só botar um pedaço de cobre na cara para dar um tom mais conceitual e pronto, só sair e ser icônica você também.

Ah, e In Two é fácil a melhor música que Namie lançou desde o _genic (Mint-fãs talvez venham contestar mas é isso aí). A farofa icônica dela se quebrando em dois (A ideia que basicamente faz o PV inteiro) e o fator biased já deram um Top 10 para o top de fim de ano.

5º NÍVEL: AUTORREALIZAÇÃO

Com tudo isso Namie agora é uma diva, poderosa, feliz, empenhada, amada pelo povão e com bastante energia para caminhar e pular no palanque, ou seja, sente que está cumprindo o seu papel no mundo e está realizada com suas conquistas e feitos. Agora ela lidera multidões para dançar suas farofas e ela é a dona da porra toda como é mostrado no PV de Do It For Love. Parabéns Namie, menina mulher, esse momento é seu, FINALMENTE você está realizada pela aposentadoria no alto de seus 40 anos e das platinas japonesas que outras só sonham mesmo. CAN YOU CELEBRATE?

PS: O último dos 6 PVs inéditos do FINALLY foi para Christmas Wish. Eu ainda não conferi, mas se você está afim de ver a tentativa de Namie Amuro ter a sua All I Want For Christmas Is You e receber mais alguns milhões de yens abusando do Natal, segue o link aí:

PLAYLIST DO LEITOR – OUTUBRO/17

Depois de 2 meses, a Playlist do Leitor está de volta em sua edição de outubro. O tema do mês era de grupos mortos, zumbis ou que estão no bico do corvo. Peguei as sugestões, coloquei algumas recomendações minhas e temos aqui o resultado:

Tracklist.png

(mais…)